BLOG

Venezuela: como ficam Maduro e o chavismo após derrota eleitoral

Noticias

Vitórias da oposição mesmo em redutos do movimento político da situação colocam sob pressão governo que já enfrenta problemas como crise econômica e popularidade em queda.

Daniel Pardo
Da BBC

Nas primeiras horas após a derrota nas eleições parlamentares de domingo, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pareceu ter deixado de lado o tom aguerrido de seu discurso ao comentar o péssimo resultado nas urnas.

«Ninguém disse que seria fácil», «Temos que trabalhar duro» e «Precisamos de uma nova etapa da Revolução Bolivariana» foram algumas das frases de efeito usadas pelo presidente.

Mas a verdade é que o Chavismo enfrenta uma situação inédita: além de sofrer seu primeiro revés eleitoral em 17 anos, o movimento de esquerda cedeu terreno para a oposição mesmo em redutos, como o distrito 23 de Janeiro. Ironicamente, é lá que está enterrado o ex-presidente Hugo Chávez, que comandou a Venezuela por 11 anos até sua morte, em 2013.

Maduro não apenas perdeu o controle do Legislativo no domingo: a frente de partidos de oposição está muito perto de conquistar dois terços das cadeiras parlamentares e, assim, ter os votos necessários para desafiar seriamente o presidente, inclusive abrindo processo de impeachment.

Desafio
O presidente enfrenta ainda uma grave crise econômica que, segundo analistas, exigirá medidas que resultarão em aumento do custo de vida, desvalorização da moeda e cortes nos gastos públicos. Outro problema são as divisões internas no chavismo, que deverão ser evidenciadas pelos resultados das urnas.

Maduro disse no domingo que a derrota seria fruto do que chamou de «guerra econômica» liderada pela oposição, com apoio da iniciativa privada e dos Estados Unidos. Pesquisas de opinião, porém, mostram que de 60% a 65% dos venezuelanos culpam o governo pela inflação, a escassez e a recessão. E isso, naturalmente, atinge a imagem de Maduro.

Alguns comentaristas de tendência chavista, inclusive, pediram sua renúncia.

«A capacidade de liderança do presidente foi reduzida», afirmou à BBC Mundo Roland Denis, vice-ministro do Planejamento do governo Chávez em 2003.

«Veremos muitas pessoas dizerem publicamente o que antes não se atrevia: o governo e Maduro são responsáveis por esse desastre econômico».

Campanha
O presidente precisará ainda lidar com uma oposição mais poderosa que o obrigará a fazer concessões para manter a estabilidade de seu governo.

Os desafios do chavismo passam também pela ausência de figuras de liderança que possam gerar esperança de mudanças nas bases do movimento.

Diosdado Cabello, o atual presidente da Câmara, foi reeleito deputado, mas agora poderá experimentar o outro lado das discussões parlamentares – Cabello ficou famoso pelas interrupções durante falas de colegas de oposição. Mas há quem aposte que seja alçado a um cargo ministerial ou mesmo à vice-presidência. Até porque parecer ser o único chavista com capital político para uma renovação sem grandes concessões.

«O chavismo passará por um processo de formação de frentes e divisões», acrescentou Denis.

Mas se a maioria do eleitorado votou contra o governo no domingo, isso não significa que discorda do regime socialista. Maduro chegou às eleições com 30% de popularidade, mas Chávez, apesar de há quase três anos morto, hoje é admirado por mais da metade dos venezuelanos. Analistas dizem que o voto foi uma punição ao governo, não uma rejeição às conquistas sociais obtidas na última década.

«A derrota de domingo será interpretada com uma parte normal de um processo de busca por justiça social», explicou o cientista político Alberto Aranguibel, cientista político de linha chavista. «O processo será reforçado por este revés eleitoral».

Um aumento no preço do petróleo – a Venezuela tem as maiores reservas do mundo – poderá ajustar a economia sem sacrificar sua imagem. Mas, com eleições para governador previstas para o ano que vem, o país parece fadado a permanecer em um estado de campanha permanente.

Últimos do Blog
Noticias

Gobierno de Bolivia entregará títulos de tierra a campesinos

Más
Noticias

Colombia. Los cinco precandidatos presidenciales que ya tiene el Pacto Histórico para 2022

Más
Noticias

Nito Cortizo aseguró que en su administración no se han realizado escuchas ilegales

Más
Noticias

Enrique Sánchez está enfocado en refundar el Partido Febrerista

Más
Noticias

PRI y PRD pierden más del 70% de su militancia

Más
Noticias

Legislativo de Ecuador instala mesa sobre demandada ley de educación

Más
Noticias

Castillo nombra a primer ministro de izquierda en Perú y deja pendiente al de Economía

Más
Noticias

Argentina passa a considerar cuidado materno como trabalho e garante direito à aposentadoria de 155 mil mulheres

Más
Noticias

PRD pide a ciudadanos no participar en la consulta popular del 1 de agosto

Más
Noticias

Bolsonaro emprende nueva reforma ministerial para sumar apoyos en el Congreso

Más
Noticias

La hora de Pedro Castillo

Más
Noticias

Colombia Humana, UP y MAIS se declararon en oposición a Claudia López

Más
Noticias

Proyectos que ha realizado la alcaldía de Claudia López

Más
Noticias

Presidente del partido de izquierdas uruguayo deja su cargo y llama a unión

Más
Noticias

Mónica Fein será precandidata a diputada nacional y enfrentará a la lista de Pablo Javkin

Más
Noticias

Narváez marca primeras diferencias con candidatura de Provoste: “La realidad que hemos visto, es que es una reacción a las encuestas”

Más
Noticias

Presidente del PS, Álvaro Elizalde, asegura que Narváez no bajará su candidatura en favor de Yasna Provoste

Más
Noticias

Nicaragua: el régimen continúa con la persecución a opositores y Ortega aseguró que “no hay espacio para la negociación”

Más
Noticias

Colas para hacerse con un hueso de carne: el hambre se dispara en Brasil

Más
Noticias

Sí Por México llama a PAN, PRI y PRD a buscar candidato de unidad para las elecciones de 2024

Más
Noticias

Pedro Castillo teje una red de apoyos para gobernar Perú en un escenario adverso

Más
Noticias

La Policía investiga a Bolsonaro por supuesta prevaricación en la pandemia

Más
Noticias

Gustavo Petro brasileño está cansado de que lo culpen de todo en Twitter

Más
Noticias

Claudia López acusa a Petro de ‘incendiar a Colombia’

Más
Noticias

Ex-ministro da Defesa da Bolívia planejou segundo golpe usando mercenários dos EUA

Más
Noticias

Cuba logra la primera vacuna latinoamericana con datos de efectividad al nivel de Pfizer y Moderna

Más
Noticias

Presentan en Ecuador propuesta para ley de aborto por violación

Más
Argentina

Superinflación, superajuste, superdependencia de la mano del superministro Massa

Más
Argentina

Europarlamentarios se reunieron con la presidenta del Partido Socialista Mónica Fein

Más
Bolivia

Presidente de Bolivia plantea en la ONU superar el capitalismo para enfrentar amenazas que acechan a la humanidad

Más