BLOG

Esquerda precisa atualizar sua “narrativa” e suas formas de atuação, defendem socialistas

Noticias

WhatsApp Image 2017-08-18 at 10.58.48 AM(2)Representantes da Coordenação Socialista Latino-americana (CSL) defenderam a construção de uma nova “narrativa” de esquerda no continente, aliada à busca de novas formas de atuação e ao enfrentamento da corrupção, durante reunião ordinária no último fim de semana, em Assunção, no Paraguai.

Estiveram presentes o vice-presidente nacional do PSB e secretário-geral da CSL, Beto Albuquerque, e a presidente do Partido Revoluncionário Feberista (PRF), do Paraguai, Hilda Josefina Duarte de Benítez.

Também participaram o vice-presidente do PRF, Roberto Ferrero, o presidente do Partido Socialista do Equador (PSE), Patricio Zambrano, o congressista nacional Alberto Quintanilla e Ana Muñoz, ambos do Partido Socialista (PS) do Peru.

Durante a reunião, que aconteceu na sede do PRF, os socialistas também definiram a incorporação de novos membros à CSL.

Beto Albuquerque, que presidiu a reunião, defendeu que a CSL seja um espaço amplo de reflexão sobre novas perspectivas do socialismo no continente. “O desafio para discussão é como a esquerda pode governar em países capitalistas, garantindo avanços e não perdendo espaços para a direita”, disse.

O socialista brasileiro citou a experiência do Uruguai, onde os partidos da Frente Ampla governam há 15 anos, combinando crescimento econômico com avanços sociais. “Devemos aprender com essa experiência”, defendeu Albuquerque.

Josefina Duarte ressaltou que a corrupção “custa muito caro” à esquerda, que não deve permanecer “paralisada”, permitindo o avanço da direita.”Em nossas organizações, uma pessoa que se desvia custa muito mais à esquerda que à direita”, disse.

Ela afirmou que é preciso governar como socialistas, tendo a honestidade administrativa como bandeira, e citou como exemplo o PRF, que tem uma imagem de probidade, em contraste com a direita, “muito ligada à máfia e à corrupção no Paraguai”.

Patricio Zambrano reforçou a necessidade de autocrítica da esquerda e de que temas como ética e moralidade pública sejam uma prioridade para os membros da CSL. WhatsApp Image 2017-08-18 at 10.58.48 AM(1)

Na sua opinião, é preciso retomar o processo de unificação da esquerda na América Latina no momento em que em vários países, entre eles, o Equador, a direita reconquista espaços. Zambrano ressaltou as experiências acumuladas por seu partido, que hoje tem congressistas e prefeitos em todo o país, participou do governo de Rafael Correa, e apoia o atual presidente Lenin Moreno.

Para Ana Muñoz, do Partido Socialista do Peru, a esquerda tem que experimentar um processo de renovação e democratização, e deve se preocupar com o tema corrupção, que compromete recursos necessários à execução de políticas públicas.

Já Alberto Quintanilla, também do PS peruano, comentou que o Peru passa atualmente por um problema em que o “Estado serve ao poder econômico”, e que a esquerda deve estar unida e renovada para não permitir que governos se perpetuem no poder.

Assessoria de Comunicação/PSB Nacional